Tempo do novo

31
dez

Os fogos de artifício anunciam a chegada de um novo ano. Ano de novas metas, novos, desafios, novas vitórias. De aprender com novos erros e não cometer mais os velhos.

Ano de deixar para trás o que passou. De desejar fazer de novo o que deu certo ou começar do zero o que não foi tão bom assim. Não tenha medo do desconhecido, desbrave o horizonte e vá sem medo na direção dos seus sonhos.

Como já dizia Carlos Drummond de Andrade: “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre”.

Então, o Genot deseja a você que acredite que pode, e assim, faça um ano literalmente novo. Com muita paz, prosperidade, amor e regado a muito café quentinho.

Uma delícia cheia de história

26
dez

Muito se engana quem acha que o Croissant é uma invenção francesa. Na verdade, essa receita é austríaca.

A lenda diz que ele surgiu por volta de 1683 em Viena, na Áustria, quando o exército turco tentou invadir a capital austríaca através de túneis, porém, não contavam com que os padeiros de Viena ficavam acordados até tarde durante a noite para fazer pão fresco para a manhã seguinte. Os padeiros então ouviram barulhos e deram o alarme, o que fez com que os turcos não tivessem êxito em conquistar a cidade.

Os padeiros quiseram criar algo que celebrasse a vitória sobre o inimigo. Então criaram uns pãezinhos folhados em forma de meia lua (símbolo representado na bandeira turca), assim, os vienenses tinham a oportunidade de, ao comer este pão, destruir o símbolo dos inimigos.

Este pãozinho ficou conhecido inicialmente por “Viennoiserie”. Só por volta de 1770, quando chegou à França através da rainha Maria Antonieta, é que se popularizou no país e ganhou o nome de Croissant, que significa “meia lua”.

Essa especialidade se tornou o pão de massa folhada mais famoso do mundo. Popularizou-se, caiu no gosto das pessoas e hoje faz parte do cardápio de diversos países do mundo.

Essa iguaria não poderia deixar de estar presente no Genot. De diversos tipos, com diversos recheios, vale a pena vir e se deliciar com essa delícia cheia de história.

Noite de Natal

23
dez

Ao falar de fim de ano, é difícil não citar o Natal. Com toda sua simbologia, seu sentimentalismo, as pessoas enfeitam suas casas, compram presentes, preparam a ceia para uma noite especial ao lado da família.

Sabe aquela sensação de quando você toma um café e esquece o mundo? Pois é, o Natal também é assim. Essa data é esperada ansiosamente por muitos, por ser um dia onde as desavenças e tristezas são deixadas de lado para viver momentos de alegria ao lado de pessoas queridas.

Aproveite então essa data para curtir as companhias, a ceia, os presentes e toda a felicidade que o clima do Natal oferece. E se der vontade, um cafezinho, por que não?

Genuinamente nordestina

17
dez

A Tapioca é uma iguaria genuinamente brasileira, muito popular principalmente no norte e nordeste do país. Ela é derivada da goma da mandioca e, como muitas outras das comidas do Brasil, tem origem indígena. A tapioca difundiu-se em quase todo o país e está presente no café da manhã, lanche e jantar de muitas casas.

A tradicional tapioca não tem tempero nem recheio, mas ao longo do tempo novas combinações foram experimentadas e hoje existem tapiocas com sabores diversos, tanto doces quanto salgados.

No Genot, não poderia deixar de ter essa comida típica e tão presente no cardápio regional. Uma das opções que está no nosso menu é a tapioca de carne de sol, nata e queijo coalho. Nada mais nordestino do que misturar uma comida da terra com um recheio também típico da região.

Da Europa para paladares de todo o mundo

12
dez

Quiche é uma espécie de torta aberta e que pode ser recheada com diversos ingredientes.

A palavra quiche vem do alemão “kuchen”, que significa torta. Esse prato nasceu na Alsácia Lorena, que fica no nordeste da França, mas foi diversas vezes comandada pelos alemães e faz fronteira com o país.

Esse prato, que se tornou popular em todo o mundo, é uma comida frequente nas casas e é servido principalmente em bares e cafés como lanche ou tira gosto.

Para sair da mesmice, as pessoas estão sempre inovando nos ingredientes para o recheio das quiches, e a gente também faz isso. Se você é daqueles que adora uma mistura entre doce e salgado, vai adorar nossa quiche de pêra com gorgonzola, o toque suave da fruta harmoniza com o queijo mais forte.

Se você prefere sabores mais tradicionais, calma! A gente tem várias outras opções que vão te agradar. É só dar uma passadinha aqui no Genot e degustar essa delícia.

Carro movido a café?

06
dez

Já parou para imaginar um carro que só funciona com café? Pois é, isso é possível! E melhor ainda, ele também quebra recorde de velocidade. Foi exatamente isso que aconteceu na Inglaterra. Um carro que usa café como combustível bateu o recorde para um veículo movido por resíduos orgânicos e atingiu cerca de 110 quilômetros por hora.

O veículo funciona com um gaseificador que queima o material orgânico em alta temperatura, o que gera gases combustíveis (como monóxido de carbono, dióxido de carbono, hidrogênio e metano) que são utilizados para alimentar um motor de combustão adaptado. O gás liberado é arrefecido e filtrado e o hidrogênio é utilizado para alimentar o motor.

O veículo que foi, construído por engenheiros britânicos em parceria com o programa “Bang Goes the Theory”, da rede BBC, já tinha uma classificação mundial por ter feito a mais longa jornada (mais de 320 quilômetros) para um carro movido a material orgânico. Agora, essa segunda geração dos carros provou que o equipamento também tem excelente desempenho na velocidade.

Nova mania: arte no café

03
dez

Aqui no Genot todos os dias fazemos o “latte art” ou arte no café, que consiste em desenhos feitos na espuma da bebida ou no derramamento de leite vaporizado em uma xícara de café expresso, gerando um padrão ou uma arte sobre a superfície do café.

Esse tipo de trabalho é capaz de criar belas imagens. A arte no café é um algo que está em alta, e é a mais nova mania de internautas e entusiastas de um bom cafézinho é

fotografar os desenhos mais bacanas que são feitos.

Venha para o Genot apreciar um saboroso café servido com uma belíssima arte.